Image


Publicado por :   Associação Ginecologistas   |   Dia : 17-01-2022   |   Gostar   Inicie a sua sessão para gostar e partilhar esta dica 762

Cabo Delgado destaca insuficiência de material de trabalho para garantir serviços de qualidade

Segundo profissionais de 4 unidades sanitárias

No âmbito da implementação do Projecto Advocacia Pelo Aborto Seguro, a AMOG organizou, nos dias 20 a 23 de Dezembro de 2021, workshops com os provedores de saúde nos Centros de Saúde Eduardo Mondlane, Natite, Paquite e Hospital Central de Pemba, na província de Cabo Delgado. A actividade alcançou 78 profissionais de saúde, dos quais médicos, enfermeiras de Saúde Materno-Infantil, pessoal administrativo, agentes de serviço, técnicos de medicina preventiva, de laboratório e de farmácia.


Estes workshops surgem da necessidade de empoderamento dos provedores em termos de conhecimento e abordagens, mudança de atitude, implementação da Lei 2014 assim como do Diploma Ministerial 60/2017, e da prática correcta das normas clínicas e da humanização dos serviços de saúde. Por outro lado, a AMOG visa melhorar o atendimento adequado ao aumento da demanda nos serviços de aborto seguro em todas as Unidades Sanitárias.

Foram temas cruciais abordados, a grande preocupação a nível de informação quer dos provedores assim como da comunidade sobre os deveres, humanização dos serviços e direitos dos utentes, a compreensão das regras clínicas sobre o aborto seguro, a  compreensão das regras clínicas nos cuidados compreensivos pós-aborto, o conhecimento sobre Ética nos Direitos à Saúde Sexual e Reprodutiva,  objecção de consciência, planeamento familiar, entre outros.

Momentos da actividade.

Segundo Dr. Marvin Chicurrane, membro da AMOG e médico Gineco-Obstetra, um dos facilitadores desta sessão de Clarificação de Valores para Transformação de atitudes, “queremos mesmo com as sessões transmitir uma visão geral do conhecimento já existente, ver como é percebido pelos participantes e avaliar sua confiança em relação ao aspectos clínicos do aborto seguro, e sob o ponto de vista de direito humano”. 

CABO DELGADO

A província de Cabo Delgado resume pelos dados registados que conseguiu fazer a distribuição dos métodos contraceptivos em todos os distritos ao longo do primeiro semestre de 2021. Relativamente ao aborto seguro, e no mesmo período, foram admitidos nos serviços de ginecologia em todas as unidades sanitárias da província, 8598 pacientes, dos quais 866 realizaram aborto médico e 1441 aborto cirúrgico. Do universo que deu entrada, 161 beneficiaram da inserção do DIU, 305 colocaram implante e 670 optaram pela injecção de Depo-provera.

Os distritos de Montepuez e Pemba lideram a lista das admissões, com 2869 e 2398, respectivamente. O distrito de Pemba lidera a lista de entradas com aborto médico e cirúrgico, com 168 e 409, respectivamente, seguido de Montepuez, com 141 abortos médicos e 392 cirúrgicos. 

Momentos da actividade.

DESAFIOS 

Nem todos os distritos de Cabo Delgado oferecem serviços de aborto seguro e o quadro dos profissionais capacitados ainda é insuficiente para cobrir toda a província, daí que neste momento se está a trabalhar na formação, de tal forma que se possa garantir os serviços em toda a província.

Durante o workhsop, os profissionais apresentaram as suas preocupações e constrangimentos relativos à questão do aborto e planeamento familiar, tendo destacado que há falta de recursos financeiros para a materialização dos objectivos traçados; a falta de medicamentos para o aborto seguro entre outros insumos têm dificultado todo o processo.

A província impõe-se como desafio continuar a oferecer serviços de planeamento familiar, garantir a disposição de contraceptivos nas escolas, centros de acomodação de deslocados, bem como o uso de brigadas móveis porta a porta por conta da Covid-19. Igualmente tem como desafio implementar Task Forces distritais de modo a melhorar a logística de bens consumíveis do planeamento familiar. Outro desafio é formar 842 activistas de saúde para intensificar a divulgação do planeamento familiar nas comunidades.

Entrega de certificado a uma das participantes da actividade.

PRINCIPAIS GANHOS 

Como principais ganhos no primeiro semestre, a província conseguiu melhorias no uso de métodos de longa duração. A implementação de clínicas móveis permitiu o aumento de cobertura do planeamento familiar na província. A implementação do planeamento familiar através de SAAJ, ACS e APE contribuiu para o aumento da procura ao nível comunitário. Houve disponibilidade de clínicas móveis que ajudaram a difundir a informação, o uso de agentes comunitários na divulgação de informação também constitui um factor positivo para o sucesso das actividades realizadas na província. 

Com todas as experiências, foi possível ter como lições aprendidas a restruturação das equipas de forma que se possa fazer um atendimento em locais onde há deslocados. Com a pandemia, se está a oferecer três ciclos de pílulas para evitar aglomerados. O uso da estratégia de clínicas móveis melhoraram o atendimento do público. 

Do nível central, a província espera que se aloque mais instrumentos de registos de modo a melhorar a qualidade de dados recolhidos bem como a alocação do material médico cirúrgico para a realização do aborto.

Entrega de certificado a um dos participantes da actividade.


Direitos reservados a AMOG.



Gostar   Inicie a sua sessão para gostar e partilhar esta dica



Faça login   para deixar um comentário.