Image


Publicado por :   Associação Ginecologistas   |   Dia : 24-11-2022   |   Gostar   Inicie a sua sessão para gostar e partilhar esta dica 656

AMOG encerra ronda de workshops em Cabo Delgado

4 unidades sanitárias envolvidas

No âmbito do encerramento do Projecto Advocacia pelo Aborto Seguro, a AMOG realizou mais uma ronda de workshops de Clarificação de Valores e Mudança de Atitude (VCATs) na província de Cabo Delgado, nos Centros de Saúde Cariacó, 18 de Outubro, Ingonane e Mahate, nos dias 22 e 23 de Setembro, para cerca de 110 provedores de saúde.


A actividade foi liderada pelos médicos ginecologistas e obstetras membros da AMOG, Dr. Marvin Chicurrane e Dr. António Tomocene, pela enfermeira de saúde materno-infantil Alica José, e pela Coordenadora do Projecto, Eunice Themba, para um grupo diversificado de participantes, dentre os quais se encontravam técnicos de medicina geral e preventiva, assistentes administrativas, agentes de serviço, enfermeiras de saúde materno-infantil, responsáveis da maternidade e de planeamento familiar, técnicos de farmácia, activistas e gestores de casos de HIV-SIDA.

Os intuitos principais que orientaram as VCATs lideradas pelos gineco-obstertras foram o de melhorar o atendimento adequado ao fluxo de demandas das Unidades Sanitárias e reforçar o conhecimento e informações actualizadas sobre os direitos das mulheres e raparigas ao aborto seguro e legal, bem como fazer uma avaliação do expertise dos provedores.

Dr. Marvin Chicurrane durante workshop na Unidade Sanitária de Ingonani

Humanização dos Serviços

O tema sobre a humanização dos serviços alavancou a necessidade de condutas cada vez mais humanizadas e a consequências da falta de fiscalização nas formações de saúde e na prestação de serviços de interrupção voluntária da gravidez. Foi realçado o papel da relação entre médico e paciente e como esta afecta não só a utente, como também a família. Igualmente, o Dr. António Tomocene ressalvou que “a qualidade deve estar acompanhada de humanização, pois o objecto de trabalho do profissional de saúde é o ser humano, implicando que todas acções devem estar viradas ao utente, ao acolhimento e a prontidão da unidade sanitária para oferecer serviços de saúde sexual e reproductiva e de saúde materno-infantil”.

Participantes do workshop na Unidade Sanitária de Cariacó

Objecção de Consciência preocupa provedores

Na ordem de assuntos abordados durante a actividade, a secção de debate e dúvidas se destacou pois foi notória a confiança e abertura que cresceram nos participantes e que lhes possibilitou trazer a tona e discutir alguns cenários complexos com que se podem deparar referentes ao aborto, durante o exercício das suas actividades. Neste contexto, ficou o trabalho de se reflectir em como a religião predominante naquela província, o islamismo, em especial na época de jejum, pode influenciar a provisão de serviços de aborto seguro. Ainda assim, o Dr. Marvin Chicurrane reforçou “a necessidade de reforçar a eliminação de qualquer tipo de discriminação face a necessidade de a mulher decidir optar por interromper a gravidez caso assim o deseje”.


Direitos reservados a AMOG



Gostar   Inicie a sua sessão para gostar e partilhar esta dica